Chegada Noites    Adultos Crianças

As Rotas de Montanha 

 » A "Rota do Marancinho", no concelho de Amarante, deve a sua designação ao facto de uma boa parte do percurso se desenrolar junto à ribeira com o mesmo nome, por um lado, e, por outro, porque o topónimo "Marancinho" (Marãozinho) faz lembrar o Marão, uma das grandes referências do património natural desta região. Com início e termo junto à igreja românica de Gondar e desenvolvendo-se em território das freguesias de Gondar, Lufrei e Vila Chã, este percurso, de mais de seis quilómetros, faz-se, em grande parte, por caminhos e veredas ancestrais, incluindo um belo troço da antiga via romana que, por Amarante, ligava Tongobriga (perto de Marco de Canavezes) ao santuário rupestre de Panóias (a escassos quilómetros da cidade de Vila Real).  Alternando entre o vale e a montanha, decorrendo ora por entre culturas e pastagens, ora por entre matagais e pequenos bosques de pinheiros, sobreiros e castanheiros, o itinerário integra, não apenas uma fauna e flora rica e variada, mas também vários exemplares do património histórico-cultural da região, alguns deles classificados, destacando-se a igreja românica de Gondar e os vestígios da milenar via romana. A Rota do Marancinho, sublinhe-se, constitui um percurso registado e homologado pela Federação de Campismo e Montanhismo. 

» A "Rota de São Bento", com início na praia fluvial de Rua, Aboadela, desenvolve-se, em circuito, ao longo de 12 km, nas freguesias de Aboadela, Sanche, Olo, Vila Chã e Gondar. Após a passagem pela freguesia de Sanche, chegamos ao lugar de Cruzeiro, Gondar. O percurso passa por um antigo troço da via romana, junto à ribeira de Marancinho, onde se pode ainda observar um pontão romano sobre a ribeira e umas dezenas de metros da via, amparada, devido à inclinação do terreno, por um robusto muro de suporte. A via seguia por Sanche, transpondo o rio Ovelha no lugar de Rua, para depois atravessar o Marão pela Lameira e continuar em direcão a Panóias. Seguidamente, um caminho íngreme, leva-nos ao topo da montanha, a 550 metros de altitude, no lugar dos Picotos. 

» O Itinerário da Lameira 

Os percursos da Lameira convidam a um atento e cuidadoso passeio pela montanha, pois o rasto, quase imperceptível, de algumas espécies pode surgir- nos a qualquer momento. Entre clareiras verdejantes e matos fechados, o ribeiro de Leijido desenha cenários naturais de excelência para o javali, cuja presença se deteta pelas inúmeras fussadas que faz na camada superficial do solo, em busca de tubérculos, raízes e insetos para se alimentar.